Médicos para além das fronteiras: comunicação, território e o poder. Vinculativo da publicidade social.

Autor: Gabriel Faza Guedes de Souza.

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao curso de Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda, como requisito parcial para obtenção do Grau de Bacharel.

Orientador: Prof.ª. Drª. Patrícia Gonçalves Saldanha.

RESUMO

O vínculo é o nexo capaz de fazer com que um indivíduo tome decisões muitas vezes consideradas irracionais. É o elo com uma pessoa, instituição ou causa capaz de fazê-lo realizar ações que se chocam com o racional social. Médicos Sem Fronteiras é um exemplo claro de como a comunicação pode criar e fortalecer vínculos e de como estes, por sua vez, podem gerar vontades e impactar na escolha dos diversos profissionais que optam por seguir carreira na Organização. Nosso objetivo é analisar e se aproximar da resposta para a seguinte questão: como a comunicação de Médicos Sem Fronteiras trabalha para criar vínculos e fazer com que profissionais de diversas áreas se candidatem para as ações humanitárias? O desejo de cuidar do outro é, sem dúvida, o principal motivo que leva uma pessoa a aceitar o desafio de exercer sua profissão em um país ou região com infraestrutura precária. Entretanto, cabe à comunicação o papel de aproximar o indivíduo, a causa e a instituição, a fim de ter em seus processos seletivos um número cada vez maior de candidatos alinhados com os princípios de MSF. Para obter tal resultado, este trabalho contou com uma análise bibliográfica de autores que estudam os indivíduos, suas escolhas, vínculos e vontades. Também se analisou a pesquisa de estudiosos sobre a publicidade social e publicidade comunitária, a fim de entender a categoria em que se enquadra a comunicação de MSF. Para entender melhor o desdobramento de tais teorias no modus operandi da organização, realizamos entrevistas presenciais com funcionários do escritório de Médico Sem Fronteiras no Brasil. Vale ressaltar que este trabalho está é vinculado ao Laboratório de Investigação em Comunicação Comunitária e Publicidade Social (Laccops) e pertence à linha de publicidade social trabalhada pelo grupo. Tomando Hold On como corpus, pode-se analisar um exemplo de filme publicitário com roteiro, imagens e trilha altamente vinculativos, pois possuem uma ligação emocional e uma qualidade técnica que desloca o sofrimento das pessoas assistidas pela organização para o espectador, que passa a perceber que ele é também um elemento pertencente a uma mesma sociedade e, por isso, possui o poder de agir para modificá-la.

Palavras-chave: Médicos Sem Fronteiras, publicidade social, vínculo, vontade, branding, Hold On.

TCC – Gabriel Faza


Crime contra o Direito Autoral, previsto nos Artigos 7, 22, 24, 33, 101 a 110, e 184 a 186 (direitos do Autor formulados pela Lei 9.610/1998) e 299 (falsidade ideológica).