Memorabília – Mercantilização e consumo do universo ficcional na saga Harry Potter.

Autor: Ana Beatriz Cunha Carvas.

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao curso de Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda, como requisito parcial para obtenção do Grau de Bacharel.

Orientador: Prof.ª. Dr.ª. Patrícia Gonçalves Saldanha.

RESUMO

O conceito de memorabília é pouco conhecido, apesar de ser utilizado constantemente, sem que a maioria de seus consumidores se dê conta. Ele abrange qualquer objeto que funcione como suporte para memórias do seu portador. Memórias são subjetivas, assim como é o valor que os objetos passam a carregar. Este trabalho aborda como o cinema faz uso dos objetos de memorabília para a promoção de suas obras, e como se dá o consumo destes objetos pelos fãs de determinada obra. Passando a carregar valores simbólicos que vão muito além do seu valor de mercado, esses objetos são consumidos por um mercado ávido que movimenta quantias surpreendentes. Para isso, foi feita uma pesquisa prioritariamente bibliográfica, seguida de análise de sites especializados no comércio desses produtos. Como corpus, é utilizada a saga editorial Harry Potter, que teve uma impressionante quantidade de objetos de memorabília derivados dela. Do uso desses objetos para a criação de um imaginário dentro da ficção, até a apropriação deles por parte dos fãs/consumidores, esta obra continua causando furor mesmo após sua conclusão. Este trabalho aborda como a produção e o consumo ocorrem e que fatores convergem para a construção de significado por trás da memorabília.

Palavras-chave: Memorabília, Consumo, Cinema, Cultura Fã, Afetividade, Harry Potter.

TCC – Ana Beatriz Carvas


Crime contra o Direito Autoral, previsto nos Artigos 7, 22, 24, 33, 101 a 110, e 184 a 186 (direitos do Autor formulados pela Lei 9.610/1998) e 299 (falsidade ideológica).