A dimensão humana e a ética do bem-querer nas fotografias de João Roberto Ripper.

Autor: Thaianne Gonçalo Coelho.

Projeto experimental apresentado por Thaianne Gonçalo Coelho, como requisito obrigatório para obtenção do título de Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo.

Orientador: Prof. Dante Gastaldoni.

RESUMO

O presente trabalho tem como objetivo apresentar e fazer refletir sobre o modo como a fotografia documental pode ser usada na construção de uma contra-hegemonia. Para isso, toma-se como objeto a trajetória profissional de João Roberto Ripper, fotodocumentarista brasileiro. Ripper iniciou a carreira na grande imprensa, passou pela agência de fotógrafos F4 e produziu trabalhos independentes, como o Imagens da Terra, Imagens Humanas e Imagens do Povo. Seu foco principal são comunidades tradicionais e urbanas, trabalho escravo e infantil, e populações menos favorecidas economicamente. A maneira singular de representar, privilegiando sempre a beleza e a dignidade do fotografado, é o grande fiocondutor do desenvolvimento. Busca-se atrelar aos seus trabalhos o caráter contrahegemônico da comunicação, com a quebra de estereótipos, e da ética, com o surgimento de uma nova linha: a ética do bem-querer.

Palavras-chave: Fotografia documental. Contra-hegemonia. Ética.

TCC – Thaine Coelho


Crime contra o Direito Autoral, previsto nos Artigos 7, 22, 24, 33, 101 a 110, e 184 a 186 (direitos do Autor formulados pela Lei 9.610/1998) e 299 (falsidade ideológica).