Providência para quem: os impactos do programa habitacional morar carioca no morro da providência e a questão da identidade dos moradores.

Autor: Luiza Cunha Barata.

Monografia apresentada ao Curso de graduação em Comunicação Social, como requisito parcial à obtenção do título de bacharel em Comunicação Social, habilitação em Jornalismo.

Orientador: Prof.ª. Dr.ª. Carla Baiense.

RESUMO

A presente publicação busca mostrar os impactos que políticas públicas de reordenamento do espaço urbano têm promovido para as comunidades faveladas, movidas principalmente por fatores externos à própria favela, e a forma com que tais transformações ficam registradas pela narrativa midiática e contribuem para a representação do território da favela, sendo assim parte do processo da Comunicação Social. Tomaremos como base de análise o anúncio e execução do programa habitacional Morar Carioca no Morro da Providência, motivados principalmente pela aproximação dos Jogos Olímpicos de 2016, que acontecerão no Rio de Janeiro. O objetivo do estudo é registrar a interferência do impacto das obras, que incluíram o processo de remoção de casas, sobre a identidade daqueles moradores. O corpus deste estudo se dá por meio da análise de discurso feita sobre as publicações do Jornal O Globo durante a semana de anúncio do projeto, das publicações do site institucional da Prefeitura do Rio para as Olimpíadas – o portal Cidade Olímpica – e também sobre o documentário “Casas Marcadas”, gravado no Morro da Providência.

Palavras-chaves: Olimpíadas, Morro da Providência, Comunicação Social, habitação.

TCC – Luiza Cunha


Crime contra o Direito Autoral, previsto nos Artigos 7, 22, 24, 33, 101 a 110, e 184 a 186 (direitos do Autor formulados pela Lei 9.610/1998) e 299 (falsidade ideológica).