Grupos e projetos de pesquisa

grupos-de-pesquisa

Contatos:(re)construindo a publicidade

Coordenação: Ana Paula Bragaglia

O objetivo geral do projeto de extensão ‘Contatos:(re)construindo a publicidade’, uma das ações do ‘ESC – Ética na Sociedade de Consumo’ (grupo de pesquisa da UFF), é incentivar a educação crítica frente ao consumo e à publicidade, sob a perspectiva ético-social, buscando, ainda, caminhos de transformação para técnicas e linguagens do setor. São nossas frentes de ação: publicação de textos e pesquisas em nossa fanpage; realização de evento anual, palestras, oficinas, e participação em debates e entrevistas, entre outras abordagens. Como o próprio nome sugere, o projeto abre caminho para ações integradas, colocando a universidade em contato com a comunidade externa por meio da interação com ONG’s, movimentos sociais, professores e alunos do ensino básico e técnico, ativistas em geral e demais atores sociais que tenham o interesse e a preocupação em discutir o consumo, a publicidade e demais táticas mercadológicas no sentido crítico aqui descrito. O Contatos também é uma realização do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense, contando com o apoio (ou parceria na realização, no caso de alguns eventos) do Programa de Pós-graduação em Mídia e Cotidiano – PPGMC, via Lapa – Laboratório de Pesquisas Aplicadas (Uff). Confira mais em nossa fanpage https://www.facebook.com/Contatos.publicidade.

Educação para as mídias em Comunicação – educ@midia.com (acesse) 

Coordenação: Alexandre Farbiarz

Interessa-nos discutir a relação da Comunicação e da Educação atravessadas pelo espectro da cotidianidade, focado na construção de um território de experiências e conhecimentos pautados pela interdisciplinaridade, inclusive os novos paradigmas propostos pelo campo da Educomunicação e Mídia Educação. Envolve ainda a discussão sobre o letramento midiático e o papel dos agentes formadores no processo de midiatização social, entendido como um processo discursivo, e os debates articulados pela intersecção das linguagens e práticas midiáticas em diálogo com a Educação formal e informal, sendo estas sempre percebidas enquanto processos de construção crítica da sociedade.

EMERGE – Centro de Pesquisas e Produção em Comunicação e Emergência

O EMERGE é um grupo de pesquisa formado junto ao Curso de Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense, em março de 2005, que realiza projetos de ensino, pesquisa e extensão fomentadores de debates, articulações e encontros direcionados a grupos e organizações sociais e acadêmicas, interessados na implementação de processos comunicacionais em suas atividades, permitindo consolidar formas interativas e compartilhadas de atuação.

Seu nome é inspirado no conceito de emergência desenvolvido por Steven Johnson em livro homônimo, que diz respeito a “processos organizados de baixo para cima e de forma adaptativa”, baseando-se na observação de processos de aprendizado e desenvolvimento em formigas (colônias), cérebros (neurônios), cidades (bairros) e softwares (programas).

Portanto, no que tange à área da Comunicação, trata-se de conceber processos comunicacionais emergentes, capazes de se apropriar socialmente das tecnologias de informação e comunicação, aproveitando-se de espaços disponíveis e a se conquistar, no sentido de afirmar a comunicação democrática como um direito humano.

 
Coordenador: Adilson Cabral
Integrantes: Andrea Medrado e Marco Schneider
 

Ética na sociedade de consumo: estudos críticos sobre consumo, publicidade e marketing em geral (acesse)

Coordenação: Ana Paula Bragaglia

Linhas de pesquisa: Estudos críticos sobre comportamentos de consumo e Publicidade e marketing sob o enfoque ético-social.

GRUJUV – Grupo de Pesquisa Mídia Sonora e Juventude 

Coordenação: Ana Baumworcel

O Grupo de Pesquisa Mídia Sonora e Juventude tem como objetivo contribuir para a teorização sobre a função da mídia sonora na educação de jovens. Visa conjugar ações de pesquisa, ensino e extensão ao diálogo com pesquisadores dos campos da Comunicação e da Educação, com foco específico no rádio e na formação da juventude. O GRUJUV desenvolve a pesquisa Vozes da Educação.

LACCOPS – Laboratório de Investigação em Comunicação Comunitária e Publicidade Social

Coordenação: Patrícia Saldanha, Pablo Laignier, Guilherme Lima.

Objetiva fortalecer a pesquisa em Comunicação Comunitária da investigação ao mapeamento de áreas como o audiovisual, mídia alternativa e mídias locativas como possibilidade estratégica na perspectiva da comunicação comunitária e ênfase na compreensão da Publicidade Comunitária e da Publicidade Social.

Mídias, redes e jovens: usos e apropriações em contextos digitais

Coordenação: Carla Baiense

A partir do estudo dos hábitos, usos e apropriações dos conteúdos jornalísticos distribuídos em plataformas móveis, entre os jovens dos 15 aos 29 anos, pretendemos compreender as novas dinâmicas de consumo e seus possíveis impactos sobre os processos de produção noticiosa.

Multis – Núcleo de Estudos e Experimentações em Audiovisual e Multimídia

Coordenação: Denise Tavares da Silva e Renata Rezende Ribeiro

Pesquisar narrativas audiovisuais que se produzem e circulam no ambiente da comunicação multimídia, entendendo-as enquanto produções de sentido e dos usos da memória.

ReC: Retórica do Consumo

Coordenação: Guilherme Nery

O Grupo de Pesquisa desenvolve uma investigação multidisciplinar a respeito da retórica do consumo. A partir do diagnóstico das principais características da sociedade de consumo contemporânea e daquilo que chamamos de Ciberpublicidade, as pesquisas buscam o mapeamento das estratégias semióticas e discursivas que vêm promovendo uma forma de integração sócio-afetiva na atual cultura do consumismo. O Grupo de Pesquisa deve levar em conta tanto os conteúdos e valores comunicados pela Publicidade contemporânea como suas formas verbais e não-verbais de comunicação.

Projetos-de-pesquisa

A estética da Ciberpublicidade

Coordenação: Guilherme Nery

Dentro do mapeamento teórico das novas práticas publicitárias e do conceito de Ciberpublicidade que o nosso Grupo de Pesquisa “ReC: Retórica do Consumo” vem propondo, passamos à pesquisa dos seus aspectos estéticos e semióticos. Vivemos na era da publicidade emocional, do branding emocional e sensorial. Assim, percebemos a força de uma retórica nova, que extrapola em muito a linguagem verbal (sem recusá-la). A pesquisa conta com diferentes olhares que se articulam sobre o objeto, a Ciberpublicidade e seus aspectos estéticos e semióticos. Cada pesquisador e cada estudante traz para a pesquisa seu enfoque, suas questões, cases a serem analisados e possíveis soluções.

Comunicação Visual em ambientes virtuais de aprendizagem: Discurso midiático das vídeo aulas

Coordenação: Alexandre Farbiarz

Partimos da análise exploratória de vídeo aulas online para discutir a relação entre seus recursos, discursos e suas propostas didáticas, levantando subsídios para discutir questões sobre a educação a distância online. Ao analisarmos a particularidade do discurso mediado pelo suporte eletrônico, percebemos que os elementos gráficos e discursivos são os elos mais fortes da cadeia e que potencializam a recepção e o desenvolvimento das habilidades e competências esperadas. Além do caráter estético, os recursos visuais agregam valor simbólico ao ambiente, quando integrados ao projeto pedagógico, possibilitando um processo de ensino-aprendizagem mais profícuo. Por outro lado a construção sígnica que a linguagem visual pode promover associada às estratégias discursivas, pode potencializar este mesmo processo.

Discursos em Contextos Ciberculturais – DCC (acesse)

Coordenação: Alexandre Farbiarz

Pretendemos desenvolver ambientes virtuais com enfoque em educação que atendam às demandas de instituições de ensino superior, médio ou fundamental no Brasil, buscando aliar não somente recursos visuais e de navegação de qualidade, mas principalmente, recursos interativos que possibilitem ao público-alvo, formado mormente por educandos, um nível de participação, interação e coautoria que promovam um melhor aproveitamento do ambiente, potencializando os objetivos pedagógicos.

Dramas compartilhados: as redes sociais como espaços de catarse e a política dos afetos

Coordenação: Renata Rezende

A pesquisa objetiva compreender como os usuários das redes sociais, particularmente da rede digital Facebook, têm utilizado essa plataforma como um espaço para a construção de narrativas catárticas. Espaço esse que se constituiu em um locus de atualização de sentimentos que nem sempre podem ser manifestados em demais instâncias do contexto social, mas que pelas características do próprio espaço digital (das redes sociais) se configura e opera, em algum sentido, numa política de afetos.

Edutainment: um percurso lúdico para a aprendizagem online: Game, Comunicação e Educação (PIBIC)

Coordenação: Alexandre Farbiarz

A Educação vem se confrontando com uma diversidade de desafios no ingresso na contemporaneidade. A ascensão das novas TIC’s, a valorização dos discursos imagéticos, o rompimento de fronteiras culturais e o hibridismo tecnológico são alguns exemplos de mudanças que imperam e promovem discussões e crises na sala de aula. O professor vem alterando suas práticas de ensino, buscando reduzir o hiato que o separa de seus alunos. No entanto, grande parte dos que buscam na tecnologia o seu apoio, acabam reproduzindo uma pedagogia que valoriza o recurso em detrimento da formação. A Comunicação e, em especial, o campo do Discurso, muito têm a contribuir para minimizar tal hiato. A compreensão de repertórios culturais, formulações sígnicas e estratégias discursivas permitem ao professor ampliar seu conhecimento do enquadre e adotar posturas dialógicas condizentes com os objetivos de ensino-aprendizagem. Neste sentido, apropriar-se de conceitos de Entretenimento em práticas pedagógicas permitirá ao professor estabelecer um canal de comunicação concreto com os alunos, partindo de um repertório comum a este público, alicerçando a construção de novas competências.

Ética Publicitária em tempos hipermodernos (PROPPI/Uff)

Coordenadora: Ana Paula Bragaglia

Esta pesquisa tem como objetivo geral investigar conceitos, agentes e significações da ética publicitária que caracterizam os atuais tempos hipermodernos, buscando nesse contexto do cotidiano, investidas contra discursivas de transformação social. As reflexões desenvolvidas nesse projeto serão compiladas em um livro cuja intenção é funcionar como roteiro didático para a disciplina de Ética e Legislação Publicitária em cursos de Comunicação Social – Publicidade e Propaganda, e outras afins. Essa iniciativa consiste em uma ação abrangente (“guarda-chuva”) de pesquisa que contempla também outros projetos de investigação científica, de temáticas mais específicas, que venho desenvolvendo nesta área.

INPECC: Instituto de Pesquisa em Comunicação Comunitária (Cartografia para consolidação da comunicação comunitária como subcampo de pesquisa

Coordenação: Patrícia Saldanha, Raquel Paiva (ECO/UFRJ) e Juciano Lacerda (PPGEM/UFRN).

Consolidar a Pesquisa, centralizar as interfaces com as instituições que investigam a temática em nível nacional; intensificar canais de intercâmbio em nível internacional.

Mídia e Cidade: imagens de publicidade no cotidiano urbano

Coordenação: Laura Bedran

Neste projeto o espaço urbano é apresentado com a noção de consumo e sua aplicabilidade ampliadas, onde a imagem midiática se insere e promove mediações para uma visualidade e semiótica urbanas em processos cognitivos de produção de sentidos na sociedade contemporânea.

Mídia, violência e cidadania

Coordenação: Márcio Castilho

A pesquisa consiste em avaliar como os territórios populares que passaram por processos de implantação de Unidades de Polícia Pacificadoras (UPP) no Rio de Janeiro são representados pelos meios de comunicação tradicionais ou corporativos. Objetivamos fazer análise de conteúdo para verificar se o(s) jornal(is) contribuíram para provocar uma reflexão crítica sobre o tema e/ou reforçaram uma dada visão estigmatizada dos territórios populares, além da análise da seleção das fontes e dos significados simbólicos, presentes nessas narrativas, à luz dos processos identitários. Pesquisa em desenvolvimento junto ao Observatório de Mídia e Violência da UFF.

Mídias Cidadãs, Vozes das Favelas, Paisagens Sonoras e as Transformações Sociais de Uma Cidade Olímpica

Coordenação: Andrea Medrado

A pesquisa pretende investigar as transformações culturais e sociais que o Rio de Janeiro tem passado no período que antecede os Jogos Olímpicos, analisando de que maneiras os moradores, principalmente os das favelas e periferias, estão se expressando através das mídias cidadãs, comunitárias, alternativas e redes sociais e estudando as vozes os ecos de resistência que se destacam nas paisagens sonoras do Rio de Janeiro durante este período de preparativos.

 “O entre – lugar”: tecnologia e hibridismo ficção/realidade nas narrativas audiovisuais

Coordenação: Renata Rezende

A pesquisa investiga a relação da transformação tecnológica do dispositivo televisivo, enquanto meio técnico e meio de comunicação, com o hibridismo das categorias narrativas de gêneros, que delimitam mundos marcados enquanto realidade e ficção, ampliando ainda o lugar do lúdico numa proposta de espaço ‘entre’ tais delimitações, a partir do desenvolvimento de tecnologias de produção de imagem e som mais potentes e em plataformas multimídias mais interativas.

Políticas Locais de Comunicação Comunitária na América Latina

Coordenação: Adilson Cabral

Busca promover uma análise comparativa entre políticas locais de Comunicação Comunitária nos países da América Latina, no intuito de identificar a visibilidade da Comunicação nas estruturas de governo dos distintos países, compreender as legislações específicas relacionadas à radiodifusão comunitária, bem como formas de promover sustentabilidade e sustento por parte das iniciativas de comunicação comunitária a luz das regulamentações e regulações existentes.

Publicidade Comunitária “N.0”: suportes alternativos para uma possibilidade não-hegemônica

Coordenação: Patrícia Saldanha

Compreender novos suportes, plataformas e formatos e linguagens do planejamento até a realização da publicidade contemporânea no caráter da proposta contra-hegemônico.

Publicidade excludente: os estereótipos de quem não consome e suas implicações na adoção do consumo como código de socialização (PIBIC)

Coordenação: Ana Paula Bragaglia

A presente pesquisa tem por objetivo geral estudar como se configuram os estereótipos publicitários de quem não faz uso do produto/marca ofertado no anúncio e qual a relação desse enfoque com a consolidação do consumo como importante ferramenta de socialização, culminando inclusive em comportamentos de discriminação e consequente exclusão social. Trata-se da renovação do projeto de mesmo nome iniciado em 2013. A renovação se justifica porque pretende-se, neste segundo ano, aprofundar especificamente a etapa empírica junto a consumidores visando compreender se e de que forma o consumo é, na prática, utilizado como código de socialização e exclusão.

Sustentabilidade da Radiodifusão Comunitária através do uso integrado de mídias na publicidade pública

Coordenação: Adilson Cabral

Contribui para fortalecer a atuação das rádios comunitárias no Estado do Rio de Janeiro, compreendendo-as como canal de comunicação de fundamental importância para as comunidades locais, promovendo uma política de patrocínios que as sustente, através da veiculação de campanhas publicitárias de caráter público por parte de rádios comunitárias em funcionamento pleno.